Quantcast
Opinião

Bola de Ouro: nem Maradona nem Pelé

Noticias de Viseu

A Bola de Ouro vale tanto como os ‘Gandulas’…ficam bem lá em casa e Maradona ganhou um.

Mas afinal quem é o melhor jogador do Mundo? Como e quais são os fatores que determinam uma escolha tão aleatória? O melhor é aquele que marca golos, aquele que faz mais assistências, o outro que recupera mais bolas, o que é mais rápido e consegue cruzamentos fantásticos, o que na defesa se destaca no desarme, o que faz fintas milagrosas e lança os colegas mais adiantados ou o guarda-redes que impede que a bola entre na sua baliza? Por certo cada ‘cabeça sua sentença’ mas, para mim, o melhor jogador do Mundo será sempre um guarda-redes, o anti-herói, aquele rebelde solitário que é a antítese do jogo pois não quer que haja golos e só em 1963 um a venceu: Lev Yachim.

…aquele que, para mim, foi o melhor futebolista de sempre: Diego Armando Maradona. Sabem quantas vezes ele venceu o troféu de melhor Mundo? Um redondo e obsceno ZERO. Maradona nunca venceu a Bola de Ouro, e nos anos em que mais brilhou, entre 1982 e 1991, tivemos como vencedores ‘génios’ como Belanov ou Papin. Mas ganhou um Gandula, em 1982 veio a Viseu receber o Troféu Gandula das mãos do saudoso Mestre Wilson Brasil.

Por certo que os que mais se destacam são os goleadores, os artistas que levam ao delírio milhões de adeptos em todo o Mundo. Contudo, ainda assim, não me parece que esta eleição do melhor do Mundo seja para levar muito a sério e, em bom rigor, tenho sérias dúvidas quanto à ‘verdade’ por trás desta eleição. Ver Modric vencer este troféu em 2018 e pensar que, por exemplo, Iniesta nunca o venceu é algo que me surpreende. Olhar para 2006 e ver Cannavaro ser eleito o melhor do Mundo e Eto’o ficar de fora, confesso, arrepia-me.

Mas para aqueles que defendem que o melhor de todos foi Pelé, também podem ficar descansados pois o Rei ficou igualmente em branco. Jogou de 1956 a 1977, conquistou 3 Copas do Mundo mas nem isso foi suficiente para vencer uma simples Bola de Ouro que fosse e por isso lá teve que aplaudir alguns dos ‘gigantes’ que a venceram, nesse período, como Sivori, Masopust, Law ou Florian.

Nas últimas 14 edições, lembrando que em 2020 não foi atribuído o prémio, só em duas ocasiões o vencedor fugiu ao paradigma Messi/Cristiano, mas será que em todos estes anos eles mereceram, sempre, a vitória, ou o ‘marketing’ assim o ditou? Tenho a certeza que nem todos os títulos foram, realmente, bem entregues, por muito que estes dois génios tenham marcado a última década e meia do futebol mundial.

Mas já que falamos em génios e que a dúvida me assola sobre a justiça de muitos destes vencedores, dou como exemplo aquele que, para mim, foi o melhor futebolista de sempre: Diego Armando Maradona. Sabem quantas vezes ele venceu o troféu de melhor Mundo? Um redondo e obsceno ZERO. Maradona nunca venceu a Bola de Ouro, e nos anos em que mais brilhou, entre 1982 e 1991, tivemos como vencedores ‘génios’ como Belanov ou Papin. Mas ganhou um Gandula, em 1982 veio a Viseu receber o Troféu Gandula das mãos do saudoso Mestre Wilson Brasil.

Mas para aqueles que defendem que o melhor de todos foi Pelé, também podem ficar descansados pois o Rei ficou também em branco. Jogou de 1956 a 1977, conquistou 3 Copas do Mundo mas nem isso foi suficiente para vencer uma simples Bola de Ouro que fosse e por isso lá teve que aplaudir alguns dos ‘gigantes’ que a venceram, nesse período, como Sivori, Masopust, Law ou Florian.

Por tudo isto, valerá mesmo a pena dar importância a estes troféus?

Tenho a certeza que o Troféu Gandula valeu a mesma coisa para mim, que tenho uma prateleira cheia deles, que vale a Bola de Ouro para quem a vence: ‘porreiro pá, ganhei um prémio que vai ficar bem lá em casa’.

Já agora, para mim o melhor do Mundo este ano foi Courtois…obviamente um guarda-redes.

Clique para commentar

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

To Top